Piratini anuncia plano para liberar gasolina ao consumidor e alimentos bloqueados em rodovias

Fotos: Da Redação

A Brigada Militar vai ampliar escolta de caminhões com combustíveis, insumos hospitalares e ração para animais

O gabinete de crise do governo do Estado anunciou na tarde deste domingo um plano para liberar rodovias em razão dos bloqueios de estradas. O anúncio acontece quando a greve dos caminhoneiros chega ao sétimo dia ininterrupto, com aumento de pontos obstruídos em rodovias. O foco está na liberação de combustíveis para o consumidor final, segundo o vice-governador José Paulo Cairoli.

Além disso, o entendimento é que o problema no abastecimento a hospitais e animais poderá se acentuar nos próximos dias caso nova proposta do governo federal para encerrar a mobilização não seja aceita pelos grevistas.

Os Batalhões de Operações Especiais (BOE) e o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) vão acompanhar o deslocamento de itens como medicamentos, produtos para o tratamento de água, combustível para ambulâncias, viaturas, postos de gasolina e ônibus do transporte público, além de ração animal. Em caso de resistência de motoristas, os policiais poderão assumir a direção dos veículos.

Os critérios para a realização de escolta são ameaça à vida de pacientes em hospitais, risco ao fornecimento de água, abastecimento de alimentos e ração para animais, em especial, aves e suínos, mais suscetíveis a falta de insumos. Além disso, em reunião hoje com o Sindicatos dos Distribuidores de Combustíveis (Sulpetro) também ficou definida a estratégia para distribuição de gasolina aos postos.

Mesmo com o plano para segurança ao transporte de cargas, a entrega não está garantida ao consumidor final, pois a logística depende da Sulpetro e das distribuidores de combustíveis. O problema, no caso, é que os motoristas estão se negando a realizar os carregamentos. Nesse domingo, 13 carretas carregadas de combustível saíram da Refap (Refinaria Alberto Pasqualini) com direção à Serra, Litoral Norte e Região Metropolitana.

O anúncio ocorreu depois de mais uma reunião do gabinete de crise com setores afetados pela mobilização dos caminhoneiros. Conforme o comandante da Defesa Civil do Estado Alexandre Martins, os materiais avaliados como essenciais pelo grupo receberão um adesivo específico para receber o acompanhamento das forças policiais.

Escoltas pontuais ocorreram entre sexta-feira e no sábado, com carregamentos de alimentos, combustíveis e ração para animais. A partir da definição do plano de escoltas pela Brigada Militar, a expectativa é que sejam ampliadas significativamente.

Fonte: AU Online

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores. Deixe seu Comentário!