Neymar interrogado durante cinco horas. “Verdade vai aparecer”

0
209
Marcelo Chello / EPA

O futebolista Neymar foi ouvido esta quinta-feira durante cinco horas no comissariado da polícia de São Paulo, no âmbito da acusação de violação de que é alvo. O internacional brasileiro negou a acusação de violação e garantiu que não teve relações sexuais com a modelo sem preservativo.

“Estou tranquilo. A verdade aparecerá mais cedo ou mais tarde”, salientou o jogador do Paris Saint-Germain à saída das instalações, perto das 21h00 locais (01h00 em Lisboa).

Neymar chegou ao comissariado às 16h00 (20h00 em Lisboa), apoiado em muletas, devido à rotura de ligamentos num tornozelo que o afastou da Copa América, competição que arranca hoje e na qual o Brasil é o anfitrião. A modelo brasileira Najila Trindade, de 26 anos, acusa o jogador de a ter violado num hotel em Paris, em maio.

Depois de terminar a primeira parte do interrogatório, a procuradora que acompanha o caso, Fávia Cristina Merlini, disse que Neymar respondeu a todas as questões colocadas e negou ter cometido o crime de que é acusado.

Segundo avança o jornal brasileiro o Globo, o jogador defendeu durante a audição que não teve sexo sem consentimento e confirmou que deu “palmadas” nas nádegas da jovem brasileira a pedido da própria modelo. O futebolista garantiu que não teve relações sexuais sem preservativo, ao contrário do que alegou a modelo.

De acordo com a imprensa brasileira, o jogador do PSG disse também que bebeu no primeiro encontro que teve com a modelo, mas que foi “apenas uma dose”, uma vez que estava a sair de um treino. Neymar disse ainda que Najila lhe disse que o amava e queria casar com ele.

Neymar terá ainda dito que está a passar o pior momento da sua vida, que não se compara a nenhuma lesão. Referiu ainda que tem uma irmã, mãe e um filho de 7 anos que não pode ir à escola porque os amigos dizem que é filho de um violador.

Leia também:  Prêmio Sesc de Literatura anuncia os vencedores de 2019

Desde que chegou ao Brasil, há quase três semanas, esta é a segunda vez que o futebolista é ouvido pelas autoridades, depois de na última semana ter prestado declarações no Rio de Janeiro, por alegado delito informático.

Em causa está o facto de Neymar ter publicado nas redes sociais a conversa que manteve com a modelo e fotos intimas de Najila Trindade, numa tentativa de demonstrar que teve um trato normal e que a relação sexual foi consentida.

ZAP // Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui