Mulher dá à luz dentro de carro com ajuda de sargento em Pelotas: ‘Foi emocionante’

0
92
Sargento Tales, a mãe Silvana e bebê Maria Esmeralda — Foto: Arquivo pessoal

Fonte: Carolina Cattaneo, G1 RS

Mãe Silvana Kolosque de Pereira, de 31 anos, e bebê, Maria Esmeralda Ivone, estão no Hospital Santa Casa e passam bem. Sargento Tales, de 31 anos, estava em serviço no 4º Batalhão de Polícia Militar, quando escutou o pedido de ajuda.

Um policial militar ajudou uma mãe a dar à luz dentro de um carro em Pelotas, no Sul do estado, na madrugada de domingo (8), por volta das 4h. A mãe Silvana Kolosque de Pereira, de 31 anos, e a bebê, Maria Esmeralda Ivone, estão no Hospital Santa Casa e passam bem.

A mãe contou que estava em casa com os outros dois filhos, Vitória, de 11 anos, e Valdir, que tem um ano e seis meses, quando começou a sentir as contrações. Ela pediu para a filha mais velha ligar para uma tia.

“Foi emocionante ao mesmo tempo. Eu pedi para a minha filha ligar e pedir que minha tia chamasse um carro por aplicativo, enquanto eu sentia as dores. Nos deslocamos, estávamos indo para a Santa Casa mas, no caminho, vimos que não ia dar tempo. Aí o motorista me levou até o batalhão, para eu receber os primeiros socorros”, conta Silvana.

O motorista buzinou na frente do quartel. Foi quando o 2º sargento Tales, de 31 anos, que estava em serviço no 4º Batalhão de Polícia Militar, escutou o pedido de ajuda.

“Eu estava no interior do batalhão, quando escutei uma buzinada, fui ver qual era a situação. O motorista disse que a passageira estava entrando em trabalho de parto. Constatei que era mesmo, a moça já estava com as características que podia dar à luz a qualquer momento”, conta o sargento.

Leia também:  Adolescente que invadiu escola em Charqueadas tinha a intenção de matar ex-colega

“Ele tomou as medidas. A nenê estava nascendo, minha tia começou a iluminar o interior do carro. Nasceu então a Maria Esmeralda Ivone. Ela nasceu roxinha, o sargento deu um tapinha, e ela chorou. Achei que não tinha sobrevivido, mas graças a Deus deu tudo certo. Quando chorou me deu um alívio, fiquei muito feliz, vi que ela estava respirando. Ela pegou no meu seio e já veio mamando até o hospital”, conta a mãe.

Maria nasceu com 46cm, e 2,71 kg. Silvana estava grávida de 37 semanas e um dia. O policial conta que nunca tinha passado por uma situação assim antes.

“Tomei as medidas, conversei, ela ficou mais tranquila, nem deu tempo para chegar o Samu [antes do beber nascer], chamei pelo rádio da Brigada Militar e relatei que uma gestante estava na frente do batalhão. Comecei a verificar, estava saindo a cabeça da criança, coloquei a mão para dar apoio, e pedi para ela fazer força abdominal”, conta o policial.

Em 2017, o sargento havia sido baleado na cabeça durante um assalto no shopping de Pelotas. Ele conta que ajudar no parto foi um agradecimento à vida.

“Há dois anos, quase perdi a vida, até então, nunca tinha conseguido ajudar a dar vida dessa forma. Experiência ímpar. Estava no lugar certo, na hora certa”.
Ainda no domingo, o policial visitou a mãe e a bebê no hospital. Ele disse que, nesta segunda (9), vai visitá-las novamente, e levar algumas lembrancinhas que ele e os colegas arrecadaram.

“Foi uma aventura, primeiro foi o deslocamento. Eu achei que não ia ter forças, mas o sargento disse para eu respirar e deu tudo certo. Ele me passou segurança. Eu pensei: ‘Ele vai me ajudar'”, acrescenta a mãe.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui