Connect with us

Mundo

Novo vírus raro começa a provocar contágio e mortes na Bolívia

Publicado

dia

Foto: Divulgação
Quer receber notícias do Ijuí Notícias pelo whatsapp? Clique aqui

Foi confirmada na Bolívia a primeira transmissão entre humanos do vírus Chapare, um microrganismo raro que pode levar à morte.

Com o coronavírus chegando a uma nova onda em diversos países, a notícia divulgada ontem (16) por cientistas americanos e bolivianos não poderia ser mais preocupante: foi confirmada na Bolívia a primeira transmissão entre humanos do vírus Chapare, um microrganismo raro que pode levar à morte.

O vírus, que teria sido originalmente transmitido para humanos por um tipo de rato, foi identificado em 2004 na província boliviana de Chapare. Cientistas do Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos e do Centro Nacional de Doenças Tropicais da Bolívia confirmam que houve transmissão entre humanos em La Paz no ano passado: dos cinco infectados, três morreram.

De acordo com os cientistas do CDC, o “novo” vírus é da família viral arenavírus, capaz de causar febres hemorrágicas como as de ebola e dengue. A transmissão desse tipo de organismo geralmente ocorre por contato direto de pessoas com roedores infectados ou de forma indireta através da urina ou das fezes do roedor doente.

Pouco se sabe sobre o Chapare, a não ser que causa sintomas parecidos com os de dengue e ebola, culminando na febre hemorrágica, um grupo de manifestações geralmente graves e potencialmente fatais. De acordo com os trabalhos divulgados durante uma reunião da Sociedade Americana de Medicina e Higiene Tropical, os infectados em 2019 tiveram, além de febre, dores abdominais, vômitos, sangramento nas gengivas, erupções cutâneas e dor atrás dos olhos.

Continue lendo
Patrocinado
Clique para comentar

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Terremoto na Indonésia deixa pelo menos 35 mortos

Publicado

dia

Por

Milhares de pessoas tiveram que deixar suas casas após o tremor na ilha de Sulawesi Foto: Pixabay
Quer receber notícias do Ijuí Notícias pelo whatsapp? Clique aqui

Um terremoto de 6,2 graus de magnitude atingiu nesta sexta-feira (15) a ilha de Sulawesi, na Indonésia. Pelo menos 35 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas, segundo o governo local.

Milhares de pessoas tiveram que deixar as suas casas após o tremor. O governo do país afirmou que dezenas de residências, dois hotéis e um prédio público ficaram severamente danificados.

O epicentro do terremoto ocorreu a 18,4 quilômetros de profundidade e a seis quilômetros da cidade de Majene, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos, que monitora a atividade sísmica pelo mundo.

A agência meteorológica da Indonésia alertou para o risco de tremores secundários, fortes o suficiente para produzirem um tsunami. O país localiza-se na região conhecida como Círculo de Fogo do Pacífico, com intensa atividade sísmica devido ao encontro entre placas tectônicas.

O Sul

Continue lendo

Mundo

Americanos devem começar, na terça, a tomar vacina da Pfizer

Publicado

dia

Por

Foto: BioNTech/Divulgação
Quer receber notícias do Ijuí Notícias pelo whatsapp? Clique aqui

Decisão da FDA (Food and Drug Administration) é para uso emergencial. Profissionais de saúde devem ser os primeiros imunizados contra a Covid

A FDA (Food and Drug Administration), agência reguladora dos Estados Unidos, emitiu nessa sexta, a autorização de uso de emergencial para a vacina da Pfizer contra a Covid-19. A decisão define o cenário para que os primeiros americanos sejam imunizados fora dos testes clínicos, já na segunda ou terça-feira, com profissionais da saúde entre os primeiros da fila.

A liberação rápida da vacina era amplamente esperada depois que um painel de conselheiros especialistas do FDA na quinta-feira endossou o uso de emergência para ajudar a conter uma pandemia que já matou mais de 285 mil pessoas nos país.

A Pfizer pediu que a vacina, desenvolvida com a parceira alemã BioNTech, seja aprovada para uso em pessoas de 16 a 85 anos de idade.

As empresas disseram no mês passado que um regime de duas doses da vacina se mostrou 95% eficaz na prevenção da Covid-19. Dados detalhados divulgados em documentos da FDA antes da reunião do painel consultivo mostraram que a vacina começou a proteger os receptores antes mesmo de eles receberem uma segunda dose.

O Reino Unido aprovou a vacina Pfizer/BioNTech na semana passada e iniciou um programa de imunização em massa na terça-feira. O Canadá também autorizou a vacina com inoculações previstas para começar na próxima semana.

Continue lendo

Mundo

Primeira vacina no mundo contra todos os vírus da gripe é criada

Publicado

dia

Por

© Foto / Rodrigo Nunes / Divulgação / Ministério da Saúde
Quer receber notícias do Ijuí Notícias pelo whatsapp? Clique aqui

Cientistas norte-americanos revelaram os resultados de testes clínicos preliminares da vacina universal contra gripe, a primeira no mundo. O artigo foi publicado na revista Nature Medicine.

Pesquisadores do Hospital Mount Sinai em Nova York (EUA) realizaram os testes clínicas preliminares da primeira vacina contra uma ampla variedade das estirpes e tipos do vírus da gripe, publicando os resultados do estudo na Nature Medicine.

A nova vacina foi produzida na base da chamada hemaglutinina quimérica (HA), isto é, uma proteína híbrida criada ao juntar genes diferentes, sendo capaz de eliminar a necessidade da revacinação anual.

As vacinas contra a gripe existentes induzem anticorpos neutralizantes dirigidos contra um domínio especial da HA, ou seja, uma proteína na superfície do vírus que ajuda o patógeno a interagir com os receptores da célula, invadindo a mesma. No entanto, este domínio é capaz de sofrer mutações, o que, consequentemente, produz novas estirpes imunes a todas as vacinas existentes.

A vacina quimérica proposta tem como alvo outro domínio da hemaglutinina, que é menos suscetível a mutações, e isso permite neutralizar várias estirpes de vírus.

Durante os testes clínicos da fase 1, com participação de 65 voluntários norte-americanos, os cientistas avaliaram a segurança e a imunogenicidade da vacina. Segundo os resultados, ela pode provocar uma resposta imune forte, que se mantém por pelo menos 18 meses.

Além disso, em comparação com as vacinas comuns utilizadas cada ano, a concentração de anticorpos induzidos pela vacina foi maior, sendo também dirigidos contra várias estirpes do vírus. Agora os cientistas planejam continuar seu estudo, contribuindo para criação de uma vacina universal contra a gripe.

//Sputniknews

Continue lendo

Newsletter

Receba as Notícias do site direto em seu email! Cadastre-se gratuitamente:
Patrocinado

Mais lidas da semana

O conteúdo do Ijuí Notícias Agora é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.